Boa colheita para a ARC Sport

Ricardo Moura, Campeão de Portugal de Ralis, voltou a ser o melhor piloto português no Sata Rallye Açores, repetindo o 6º lugar absoluto da época passada. Ricardo Moura e Sancho Eiró rubricaram uma prova exemplar, nada podendo fazer frente aos mais competitivos S2000 presentes.
Moura não foi apenas o melhor piloto luso em prova, como também triunfou entre os carros do Agrupamento de Produção. Uma excelente colheita para o Campeonato de Portugal de Ralis, que tal como o IRC arrancou este ano nos Açores.

“Foi um rali difícil, mas conseguimos sobreviver sem cometer erros. Chegar aos S2000 menos rápidos tornou-se uma missão impossível, mas a diferença que conseguimos alcançar em relação aos concorrentes mais directos fez com que as posições ficassem definidas muito cedo. Devido ao novo formato do Campeonato de Portugal de Ralis, lamento a ausência dos meus principais adversários, que teriam valorizado ainda mais esta vitória. Foi muito importante a presença do sol no último dia, para mostrar ao mundo a terra maravilhosa em que vivemos. Quero dar os parabéns à minha equipa dos Açores e à ARC Sport pelo excelente trabalho realizado, mas também à organização do Sata Rallye Açores que demonstrou ser uma das melhores do mundo”, declarou, no final da prova, Ricardo Moura.
Contando com o apoio da ARC Sport, Sérgio Silva terminou como o 2º melhor piloto português, conquistando o 8º lugar da classificação geral. Mais um resultado fabuloso para o piloto do Subaru Impreza WRX, que agora acompanhado por Fernando Nunes, repetiu os êxitos dos dois anos anteriores, voltando a dar pontos à Subaru para o IRC.

“Este é um Subaru muito fiável que me proporcionou excelentes resultados neste rali durante três anos consecutivos. O segredo tem sido atacar nos dois primeiros dias, para depois manter a posição. Espero vir a fazer a maioria do Campeonato dos Açores, mas com muito esforço”, declarou nitidamente feliz Sérgio Silva.
Esta poderia ter sido mais uma prova perfeita para a ARC Sport, caso não se tivesse registado o abandono de Rui Lousado e Nuno Rodrigues da Silva já muito perto do final do rali. Num verdadeiro teste ao Subaru Impreza R4 e evoluindo nitidamente de troço para troço, Rui Lousado chegou a terminar a 2ª etapa no 10º lugar. Quando nada fazia prever, e a apenas dois troços do fim, um problema de transmissão ditou o afastamento.

“São situações normais nas corridas. De qualquer forma, esta participação acabou por ser positiva em todos os aspectos pois consegui evoluir e testar um carro fabuloso. A ARC Sport e o Nuno Rodrigues da Silva foram espectaculares e penso voltar a fazer mais ralis com esta gente que são excelentes profissionais”, declarou Rui Lousado.

Este ano o Campeonato de Portugal de Ralis arrancou nos Açores por imposição do IRC. Foram jogadas as primeiras cartadas do ano, que encerra ainda muitas indefinições. No entanto, a ARC Sport está feliz pelo resultado alcançado pelo seu Campeão Nacional, tirando também importantes elações em relação ao futuro.

“O Ricardo Moura não podia ter feito melhor, tendo em conta as condições atmosféricas e as limitações do seu carro em relação aos S2000, com o mau tempo a aumentar essa diferença. Foi uma vitória muito importante para os dois campeonatos, querendo dar os meus mais sinceros parabéns à equipa açoriana do Ricardo que conseguiu realizar um trabalho fabuloso.
Em relação ao Rui Lousado, esteve muito bem ao volante de um carro novo que mostrou estar à altura da evolução feita. Parabéns ao Rui e ao Nuno pelo trabalho que fizeram, mas infelizmente o azar bateu à porta quando só faltava um troço para o final.
O Sérgio Silva já nos habituou a resultados extraordinários como este, só tenho pena que ele não consiga ter maiores condições financeiras para poder fazer muito mais. Os nossos propósitos só não foram totalmente alcançados devido à desistência do Rui Lousado”, disse no final Augusto Ramiro, responsável pela ARC Sport.


RallyMania com A.I.