Duelo titânico em Castelo Branco sorri a João Barros

Mesmo com uma lista de participantes ainda mais curta que a de inscritos, o Rali Cidade de Castelo Branco acabou por ser um bom espectáculo, com bons andamentos e excelentes lutas. João Barros acabou por obter uma saborosa vitória.


O piloto do Saxo Kit Car atingiu um triunfo que lhe escapava desde Montelongo, a partir de onde revelou um andamento de grande nível.

Fernando Peres levou o Escort Cosworth à segunda posição, depois de uma interessante troca de posições com Barros. Pelo meio o antigo campeão nacional ainda haveria de falhar a entrada num gancho, tendo de recorrer à marcha a trás. Já depois, viria a chegar ao comando, mas à entrada para o último troço, quando estavam separados por apenas um segundo, Peres não acompanhou o ritmo do Saxo, oferecendo a vitória a João Barros e António Costa.

Mário Barbosa também se revelou extremamente rápido, mas acabou por desistir. Assim, Carlos Martins ficou no último lugar do pódio, com o Evolution com o qual Peres venceu em Montelongo e Barcelos.

Diogo Salvi terminou no quarto lugar, em mais uma prestação consistente do piloto do Evo VII. André Marques mostrou-se mais à vontade na condução do 206 S1600, embora se note que existe ainda uma larga margem de progressão. Na super especial no centro de Castelo Branco, a equipa da Respol ainda se viu em apuros, com a vareta do óleo a saltar, e uma enorme núvem de fumo a perseguir o carro francês.

Diogo Gago assinou mais uma exibição de grande nível, assumindo a sua candidatura ao título. O andamento e o controlo na pilotagem do algarvio não deixa ninguém indiferente, sendo de revelar a fiabilidade do seu 206 GTi que terminou no sexto lugar. Alcançou ainda a vitória no Junior.

Luís Mota ficou na sétima posição, num rali onde andou longe dos lugares cimeiros, mas que não invalida uma boa campanha no Open. Arrecadou ainda assim a vitória no Regional Centro.

Gil Antunes foi o segundo no Desafio Modelstand, e oitavo na geral, atrasando-se com ligeiros problemas. Também João Ruivo, que fechou o pódio do troféu e a oitava posição, não teve no seu carro o melhor aliado.

André Martins fechou os dez primeiros. Destaques para as desistências de Eduardo Veiga, Daniel Nunes, ou de Sérgio Vaz que teve uma violenta saída de estrada.

Aníbal Rolo venceu nos Clássicos.

Classificação Final