Transmissão partida condiciona resultado de Luís Mota

A reta final do Rali de Monção não correu da melhor forma para a dupla da Competisport, Luís Mota e Alexandre Ramos, que devido a uma transmissão partida acabaram por perder bastante tempo. 

A prova em pisos de asfalto, que na presente edição apresentou um novo traçado, foi pontuável para o Campeonato Open de Ralis e Campeonato Regional Ralis Norte. 

A equipa do Cartaxo não se adaptou da melhor forma ao traçado da prova, pouco favorável ao seu Mitsubishi EVO VII, mas ainda assim foi se mantendo dentro dos cinco primeiros do Open de Ralis. Contudo já no decorrer da última especial, logo na zona inicial, partiram uma transmissão e com isto foram perdendo muito tempo, conseguindo contudo acabar a especial e chegar à assistência final onde foi solucionado o problema. 

Após as seis especiais de classificação terminaram na sétima posição da geral, terceira em termos de Regional Norte. 

Como nos adiantou o piloto “O Rali não correu como o esperado. Não nos enquadramos bem com estes troços e não andamos como nos é habitual. Apesar de tudo o rali estava a correr bem, e mesmo na última especial partimos uma transmissão e o carro pura e simplesmente não andava, pelo que perdemos muito tempo neste troço e descemos algumas posições. Apesar da parte negativa, ainda conseguimos alcançar o terceiro lugar no regional norte, o que é muito bom para as contas do campeonato. Vamos agora entrar na fase da terra, onde penso que iremos estar mais fortes e iremos querer repetir algumas vitórias dos anos anteriores”. 

O Open de Ralis prossegue em Setembro com o Rallye Oliveira do Hospital, prova que deverá marcar o regresso do jovem André Mota aos ralis.

RallyMania com A.I.