Miguel Barbosa venceu em Famalicão

Foi um dia preenchido de emoções, com muita adrenalina presente e com o S. Pedro a ajudar, que se viveu o regresso do Rali de Famalicão aos pisos de asfalto, ainda que denominado Ralisprint. A vitória ficou em casa, com Miguel Barbosa/Justino Reis a não darem quaisquer hipóteses, liderando a prova de início ao fim. Uma prova que se salda de forma positiva e que contou com muito público presente no traçado que ligava Fradelos a Vilarinho.

É necessário louvar a aposta do Motor Clube de Guimarães, bem como do Team Baia e de várias pessoas ligadas ao desporto motorizado famalicense, bem como toda a sua dinâmica e empenho para colocar de pé uma prova como este Ralisprint e fazer voltar a Famalicão os ralis em pisos de asfalto e a uma classificativa que tantas histórias tem de provas de campeonatos nacionais, que outrora ali se disputaram.

Contar a história da primeira especial, é desde logo adiantar muito do que se passou no rali. Miguel Barbosa rubricou logo o tempo mais rápido, deixando toda a concorrência em sentido. Quem já não concluiu o troço inaugural foi Ricardo Costa, com o motor do Peugeot 206 S1600 a revelar algum problema, ele que era apontado como um do fortes opositores que Barbosa poderia ter. Ainda nesta especial, um acidente já bem perto do final, faz com que alguns pilotos que já tinham realizado a prova e que estavam a ver os restantes que faltavam, sejam atingidos pelas barreiras que delineavam a pista. A nível físico, nada de muito grave se viria a registar, contudo o atraso inerente às operações dos bombeiros fazia anular a segunda especial, que se iria desenrolar no sentido inverso, uma vez que havia compromissos assumidos para que a estrada estivesse aberto no horário de almoço.

Com vários nomes já de fora, a parte da tarde resumia-se a mais duas especiais e Miguel Barbosa voltava a impor o Mitsubishi Lancer IX face a toda concorrência, não levantando o pé, apesar da vantagem que já amealhara. O actual vice-líder do Campeonato de Portugal de Ralis venceu assim todas as especiais do Ralisprint de Famalicão, deixando o 2º classificado a mais de 37 segundos.

E é no 2º lugar que se encontra uma das agradáveis surpresas da prova. Com um número bastante alto, mas com um Honda Civic a mostrar saúde por todos os lados, José Rodrigues levou a melhor sobre carros bem mais evoluídos do que o seu. Se na especial de abertura, com alguns contratempos, o 2º tempo mais rápido pode ter sido um pouco inesperado, já nas classificativas seguintes, Rodrigues voltou a comprovar toda a sua rapidez, rodando sempre nos lugares da frente e conseguindo suster atrás de si os adversários que iam melhorando os seus tempos.

Luís Silva foi 3º, numa bela prova ao volante do BMW 320is. Com uma entrada algo cautelosa, mas ainda assim a segurar um lugar no pódio, não mais sairia dessa posição, tentando inclusive chegar ao 2º posto na derradeira classificativa. Depois das boas indicações reveladas na Montanha, o piloto famalicense mostrou credenciais também nos ralis.

No seu regresso aos ralis, Bruno Costa, que era navegado por Mariana Carvalho, foi o 4º classificado. O piloto do Mitsubishi Lancer VI perdeu algum tempo logo no primeiro troço e a partir daí fez um rali de trás para a frente, rubricando sempre o 2º crono mais rápido. No entanto, o esforço do famalicense foi insuficiente para entrar no pódio, chegando mesmo à 4ª posição na derradeira especial. Essa posição foi ocupada por Marco António, num Renault Clio RS, ele que era navegado por Jorge Carvalho.

Nota de rodapé ainda, e já depois de se ter destacado o muito público presente ao longo de todo o percurso, referência para os muitos pilotos famalicenses que aderiram à prova, bem como aos concorrentes espanhóis que também estiveram em bom número.

Classificação Final
1º Miguel Barbosa/Justino Reis (Mitsubishi Lancer IX) - 13m37,993s
2º José Rodrigues/Nuno Lima (Honda Civic), a 37,859s
3º Luís Silva/Filipe Silva (BMW 320is), a 40,783s
4º Bruno Costa/Mariana Carvalho (Mitsubishi Lancer VI), a 46,892s
5º Marco António/Jorge Carvalho (Renault Clio RS), a 46,923s
6º Rui Salgado/Luís Godinho (Peugeot 306), a 1m00,916s
7º Ricardo Oliveira/Nuno Oliveira (Mitsubishi Lancer VI), a 1m12,915s
8º Sérgio Jamardo/António Teira (Renault Clio RS), a 1m15,353s
9º Hélder Silva/Miguel Rodrigues (BMW 323), a 1m15,671s
10º Margarida Barbosa/Sofia Mouta (Renault Clio R3), a 1m25,257s
11º José Pedro Miranda/Carlos Alves (Nissan 350Z), a 1m32,658s
12º André Pimenta/Marcos Gonçalves (Datsun Coupe Turbo), a 1m36,108s
13º Pedro Alves/Rui Raimundo (Fiat Punto HGT), a 1m43,986s
14º Domingos Mesquita/José Azevedo (Renault Clio RS), a 1m44,684s
15º David González/Cristian Prie (Renault Clio RS), a 1m49,922s
16º Carlos Carvalho/José Freitas (Mit-Jet), a 1m51,021s
17º Nuno Almeida/Paulo Gomes (Fiat Punto HGT), a 1m55,991s
18º Marco Alvarez/Magdalena Costas (Skoda Fabia TDI), 1m58,298s
19º António Magalhães/Nuno Alves (Peugeot 205 GTI), a 1m59,186s
20º Francisco Azevedo/Sandra Barbosa (Peugeot 205 GTI), 1m59,889s
(...)
Terminaram 81 concorrentes (CLASSIFICAÇÃO COMPLETA)


Vencedores por Divisão
I (Gasolina até 1300cc) - António Magalhães/Nuno Alves (Peugeot 205 GTI)
II (Gasolina de 1301cc até 1600cc) - José Rodrigues/Nuno Lima (Honda Civic)
III (Gasolina de 1601cc até 2000cc) - Luís Silva/Filipe Silva (BMW 320is)
IV (Gasolina mais 2000cc) - José Pedro Miranda/Carlos Alves (Nissan 350Z)
V (Viaturas Tracção Integral) - Miguel Barbosa/Justino Reis (Mitsubishi Lancer IX)
VI (Protótipos) - Carlos Carvalho/José Freitas (Mit-Jet)
VII (Clássicos) - Hélder Silva/Miguel Rodrigues (BMW 323)
VIII (Viaturas Diesel) - Marco Alvarez/Magdalena Costas (Skoda Fabia TDI)
IX (Senhoras) - Margarida Barbosa/Sofia Mouta (Renault Clio R3)


João Peixoto - Famalicão Motor
Foto de João Lavadinho