Resultado final não traduz andamento

Foi em Oliveira do Hospital que o Campeonato Open de Ralis teve a sua sétima jornada, prova em pisos de terra que contou a habitual presença da MR Team, Paulo Moreira e Marco Macedo.


O Rallye Oliveira do Hospital acabou por ser uma prova muito produtiva para a equipa, mas que contudo o resultado final não traduz em nada o andamento evidenciado pela dupla do Opel Corsa OPC.
Logo na sexta-feira registam o 2º lugar entre os carros de apenas duas rodas motrizes, além de um bom 8º lugar da geral. No sábado entraram mais calmos de forma a verificar onde se inseria o seu andamento e também para poupar um pouco a mecânica do carro nos duros troços de Oliveira do Hospital, voltando a conseguir um bom tempo entre os concorrentes das duas rodas motrizes.
Para os troços seguintes entraram mais ao ataque, mas derivado ao nº alto que lhes foi atribuído apanhavam o concorrente que os antecedia e fizeram mais de 3 quilómetros num ritmo lento, pois a visibilidade era quase nula.

“Partimos para o rali curiosos para ver os nossos cronos, pois os quilómetros feitos antes do rali em Fátima, Lavra e Lousada dava-nos alguma confiança, mas não sabíamos como seria no relógio. No fina da SE, fizemos o 3º lugar das 2RM o que nos deu muita confiança para o dia seguinte. No 2º dia, resolvemos entrar calminhos e ver como nos situávamos. Vimos que podíamos chegar à frente, e no 2º troço do dia andámos bem, só que ao final de 9 quilómetros apanhámos o concorrente que ia à nossa frente e andámos 3 quilómetros no pó, tendo mesmo de ficar quase parados. No último troço da manhã andámos bem, registámos o 8º à geral e o 3º das 2 RM, com um andamento muito vivo na zona rápida. O carro estava irrepreensível até então, demonstrando o excelente trabalho de desenvolvimento que os Monteiros têm vindo a fazer”, salientou Paulo Moreira.

 Nos troços da tarde a dupla volta a entrar bem, mas no troço seguinte a voltam a ter o problema do pó, perdendo imenso tempo. No último troço surge um problema na caixa de velocidades, onde ficaram sem 1ª e 2ª velocidade, perdendo ainda mais tempo. No final da prova a dupla terminou no 10º lugar da geral, 5º entre os concorrentes das duas rodas motrizes e vencedores da Classe. Um resultado final que não traduz em nada o andamento da equipa que sem o problema do pó foi sempre dentro dos três primeiros, mas que contudo deixa já boas indicações para a próxima prova, o Rali de Loulé.

“Para a tarde entrámos rápidos, alterámos os setups e voltamos a repetir um bom resultado, mas em S. Gião voltámos a apanhar o pó por mais 3 quilómetros o que nos arredou do 3º lugar das 2 RM. À entrada do último troço uma forte carga de água, fez aparecer muita lama o que nos valeu um susto. Pouco depois ficámos sem 1ª e 2ª e dessa forma resolvemos levar o carro até ao final sem comprometer o resultado pré estabelecido. Foi um excelente rali, mostrámos que temos andamento para andar com o pelotão da frente das 2RM. O Marco foi extraordinário, os Monteiros impecáveis e o apoio de toda a equipa MR Team foi essencial. Obrigado a todos”, concluiu o piloto do Montijo.


RallyMania com A.I.