Entrevista a Craig Breen

É um dos pilotos do momento, mesmo depois do acidente trágico, que vitimou o seu navegador Gareth Roberts, Craig Breen continua a ter uma carreira promissora pela frente. O novo piloto da Peugeot sacode a pressão e espera um ano de aprendizagem no Europeu.


Foste recentemente confirmado como piloto da Peugeot Rally Academy. Como é que reagiste?
É incrível. Depois de um período muito difícil (em que perdi o meu melhor amigo e navegador Gareth Roberts), é bom viver dias felizes. Tenho 22 anos, não deixei o karting há muito e agora sou piloto de fábrica da Peugeot, com um programa de oito provas no Europeu. Sinceramente, nem tenho palavras.

Porquê o campeonato Europeu?
O Campeonato Europeu é uma excelente competição e disputá-lo como piloto de fábrica da Peugeot vai para além dos meus melhores sonhos. Eu quis correr num campeonato forte, com um bom carro e com uma boa equipa, que eu já conheço bem. É um passo em frente para mim.

És apontado à partida como candidato ao título. O que é que isso significa para ti?
Não penso sobre isso. É claro que isso tem um significado importante, mas eu preciso de aprender e desenvolver a minha pilotagem, provando que posso fazer um rali inteiro a fundo, sem cometer erros. É algo imprescindível no Europeu, pois o nível será muito elevado e vai haver luta a sério. 

Parece que terás um ano ocupado...
Para além dos ralis, vou testar e desenvolver o Peugeot 208 Type R5, o que é uma grande oportunidade, para fazer deste o melhor R5. Fazendo também os ralis, vou poder provar que continuo competitivo.

Que diferença vai fazer o teu novo navegador David Moynihan? 
O Paul [Nagle] tem compromissos profisionais, e por isso irei ter o David como navegador. O David acompanhou-me num dos meus primeiros ralis. É uma excelente pessoa e alguém que já conheço há algum tempo.

RallyMania com FIA ERC