Braço de suspensão trava Meireles

Pedro Meireles e Mário Castro estiveram presentes no rali de Portugal com o intuito de amealhar mais quilómetros ao volante do Skoda Fábia mas infelizmente a dupla do Team Vianauto / Galp Fórmula teve de renunciar ao rali ainda a meio do segundo dia de prova devido á quebra de um braço de suspensão.
 
Apesar da falta de testes antes da prova Meireles estava “motivado para andar depressa e tentar um bom resultado. Tinha-mos a noção de que sem testes e sem um set-up base, muito dificilmente conseguiríamos ter um carro competitivo no ínicio do rali, mas sendo esta uma prova longa e dura tudo poderia acontecer e poderíamos mesmo sair do Algarve com uma vitória para o CPR”, e acrescenta ainda que “no primeiro dia não conseguimos acompanhar o andamento do Moura nem do Bruno precisamente por a afinação do carro não ser a ideal. Para complicar ainda mais, nesse dia não havia parques de assistência entre as especiais para que pudéssemos fazer as devidas alterações e então restou-nos terminar o dia, tentando perder o menos possível”. 

Para o segundo e ultimo dia de prova no que ao CPR dizia respeito, Meireles e Castro esperavam andar bem mais rápido depois de algumas alterações na afinação do Skoda, e “conseguimos fazê-lo. Entramos bem no primeiro troço do dia ainda que o skoda não estivesse com a afinação ideal e beneficiamos do furo do Ricardo Moura para ficarmos na frente dos Portugueses. Tentamos manter o Ricardo atrás de nós mas sem arriscar muito pois queríamos fazê-lo apenas na última secção”. 

Já com o Skoda perto de uma afinação ideal, Meireles procurava então impor-se a Ricardo Moura na última secção do dia e repetir a vitória de 2011 e 2012 no CPR, mas a meio da especial de Santana da Serra e numa altura em que os tempos intermédios da cronometragem oficial do rali lhe davam já uma significativa vantagem, “ partiu o braço de suspensão da roda de trás direita e foi impossível continuar até ao fim. Ficamos tristes por esta desistência mas ao mesmo tempo contentes porque sentimos uma grande evolução e adaptação ao carro durante o rali”. 

Com a ausência nos Açores, a equipa começará desde já a preparar a fase de asfalto do campeonato onde quer tentar a sua primeira vitória do ano e manter vivas as esperanças da conquista do título absoluto.