Marco Ferreira em destaque no Open do Rali de Portugal

Depois da estreia em 2012 no Vodafone Rally de Portugal, Marco Ferreira voltou a estar à partida do principal evento motorizado em Portugal, desta feita navegado por Edgar Gonçalves, com a dupla a conquistar a vitória entre os Duas Rodas Motrizes do Open, neste que foi um evento conjunto com o Mundial de Ralis. 

Segundo o piloto de Santiago do Cacém, este “foi um resultado extraordinário, mas algo inesperado, pois sabíamos que a concorrência era muito forte, e a prova longa e extremamente dura para o nosso Citroen Saxo”. 

Marco Ferreira contou que a dupla fez “uma prova sem pressão, e sem comparar tempos com os nossos adversários. Foi um rali que fizemos com o intuito de nos divertirmos, de evoluir a técnica de condução e de melhorar o comunicação entre piloto e navegador. Aplicámos sempre um bom ritmo mas com bastantes cautelas, pois os troços tinham zonas bastante traiçoeiras." 

Sobre a forma como correu o rali, o piloto apoiado pela Tudóptica, Consulnear, JBJF, TransmissãoSado e ENI disse-nos que “o objectivo passava por andar rápido e em segurança. Fizemos os dois primeiros troços sem problemas, mas percebemos logo que a dureza dos troços se iria faze sentir bastante, e na assistência, no estádio do Algarve, foi possível perceber que o Saxo já tinha algumas mazelas, mas que foram prontamente reparadas pelos mecânicos da nossa equipa, a TransmissãoSado Rally Team, a quem deixo um agradecimento pelo excelente trabalho realizado”. 

“Depois arrancámos para as segundas passagens confiantes e apostados em continuar no nosso ritmo, mas com o piso cada vez mais degradado pelas passagens dos WRC’s, apresentando muitas zonas rochosas, e com o entardecer, as coisas ficaram mais complicadas. Ao fim de poucos quilómetros começámos a apanhar o pó do concorrente que saía à nossa frente e foi muito difícil andar nessas condições. No último troço voltámos a apanhar muito pó, e com a noite a cair, a visibilidade era muito reduzida, o que nos levou a abrandar o ritmo para manter o carro na estrada. Com estas condições fomos praticamente dois minutos mais lentos por troço, ainda assim, chegámos ao final bastante contentes com o resultado, que curiosamente só soubemos momentos antes da entrega de prémios”, continuou Marco Ferreira. 

Nesta sua segunda participação no Vodafone Rally de Portugal – Open, Marco Ferreira voltou a frisar “a importância desta prova para nós e para os nossos patrocinadores, pois fazer parte da caravana do Mundial de Ralis é um verdeiro bónus em termos mediáticos e é também um retorno que os nossos patrocinadores merecem. Correr diante de centenas de milhares de espectadores é muito bom para o nosso projecto e para os nossos parceiros, a quem deixo uma vez mais o nosso agradecimento”. 

RallyMania com A.I.