João Silva continua a tirar partido da “aula” finlandesa

Chegou ao fim o segundo dia do Rali da Finlândia, onde João Silva e Hugo Magalhães participam inseridos na FIA WRC ACADEMY, ocupando neste momento a oitava posição da classificação geral por entre os dez concorrentes que pontuam nesta categoria.

Numa prova totalmente nova, a dupla nacional tem tirado bastante partido da experiência, e mesmo se os cronos não são expressivos, os objectivos com esta sua participação estão a ser atingidos, atendendo às características únicas deste rali que pontua para o Campeonato do Mundo da especialidade. 

João Silva afirmou no final deste dia que ”aquilo que a muitos pode parecer um contra-senso, para a equipa é uma importante aposta, pois não tenho dúvidas que com esta vinda à Finlândia e com o grau de dificuldade que aqui encontramos, estamos a crescer enquanto equipa, e a minha pilotagem mudou sem margem para dúvida ao longo do dia. Começo a perceber bastante melhor o que tenho de fazer para tirar maior partido do carro e ser mais rápido e eficaz nos pisos de terra, e tenho a certeza que este é o melhor lugar para desenvolver estas competências. É um excelente investimento para o futuro.” 

“O único problema que tivemos foi empenar a direcção e a ponte traseira na primeira classificativa da tarde, situação que foi prontamente resolvida na assistência e aproveitamos ao máximo cada quilómetro que rodamos neste fantástico rali. A cadência de prova também não permite grandes correcções às notas de andamento entre uma e outra passagem, mas o que mais interessa é perceber que entre mim e o Hugo já constatamos o que precisamos de fazer para as melhora. Trabalho deste é igualmente muito importante e sabemos o que é preciso fazer para melhorar ainda mais.” 

“É muito difícil descrever por palavras o que é disputar esta prova. O traçado é espectacular, extremamente técnico e desafiante. Após a passagem da manhã, senti que estava mais rápido e confiante e fomos melhorando sucessivamente os nossos tempos de forma significativa, e apesar de estarmos ainda muito longe da nossa concorrência, temos consciência que ao nosso nível e com as nossas possibilidades, sem testes, estamos a dar o nosso melhor, com a certeza de que os ensinamentos que vamos levar daqui vão ser muito úteis para o futuro. Tenho a certeza de que poderíamos correr mais 3 ou 4 anos em Portugal que isso não nos faria evoluir metade do que o que evoluímos apenas neste rali.” 

João Silva e Hugo Magalhães vão ter de disputar ainda mais cinco classificativas este Sábado, até terminarem a sua participação no Rali da Finlândia, com especial destaque para a derradeira especial de classificação, a mítica classificativa de Ouninpohja, com 33 quilómetros de extensão e muitos saltos à mistura.